Primeira Inversão – Pt2

Quando falamos de acorde na primeira inversão estamos falando de um acorde enfraquecido. Um acorde de dó maior no estado fundamental soa completamente diferente quando o mesmo está invertido. É por isso que toda atenção e cuidado são necessários quando formos montar esse acorde.

A primeira inversão é bastante complexa quando temos mais de quatro vozes. E se você gosta de compor para orquestra vai chegar uma hora que você vai passar das quatro vozes, e aí a complexidade entra em campo.

A relação vozes x primeira inversão irá fazer com que o equilíbrio e o som característico sejam mantidos. Não só as vozes, mas o instrumental também é de fundamental importância, já que haverá dobramentos, timbres, dinâmica e etc.

Para este artigo eu vou pegar o exemplo do livro de orquestração do Samuel Adler que está na página 144 da terceira edição. Lá ele diz “Se houver mais de quatro vozes, a terça do acorde (seu baixo) seria invariavelmente dobrado em algum lugar para fortalecê-lo. Neste caso, é aconselhável dobrá-lo na parte inferior da textura para trazer o som aberto tão característico desta inversão.”

Vamos tentar entender o que o Adler quer dizer:

“Se houver mais de quatro vozes, a terça do acorde (seu baixo) seria invariavelmente dobrado em algum lugar para fortalecê-lo.”

Tem mais de quatro vozes? Você vai ter que dobrar o baixo. Não adianta fugir.

“Neste caso, é aconselhável dobrá-lo na parte inferior da textura para trazer o som aberto tão característico desta inversão.”

Aconselhável não significa proibir, cuidado! Entretanto, a preservação da sonoridade da inversão é o mais importante.

Como eu disse anteriormente (aqui), quando dobramos uma nota estamos reforçando seus harmônicos. E quando dobramos demasiadamente o baixo, a tendência do acorde perder a característica sonora da inversão é muito alta.

Vou pegar o próprio exemplo do Adler, veja que ele coloca bom e não bom e vou explicar o motivo.

Acorde 1

Veja que o primeiro acorde está de acordo com o que o próprio Adler diz, dobrar a terça na parte inferior. Note a parte superior, apenas as notas lá e mi.

Acorde 2

O segundo acorde já soa um pouco desequilibrado, pois a parte grave está mais fechada e com mais notas que a parte superior. Além do mais, o acorde não está claro, ou seja, o som característico da primeira inversão tá bem fraco.

Acorde 3

Note o que o terceiro acorde tem as mesmas notas na parte grave, porém, na parte aguda, os intervalos de quartas e quintas reforçam o acorde com o som característico da primeira inversão.

Acorde 4

O quarto acorde soa desequilibrado para o lado grave, ou seja, falta peso. Além do mais, por ter o acorde bem fechado, sem ter os intervalos de quarta ou quinta, como no acorde 3, o som básico do acorde é muito fraco.

Conclusão

Harmonia é saber a sonoridade que você quer. Não existe regras, mas, sim, o som que você deseja. As regras da harmonia tradicional ajudam de uma certa forma, mas é preciso saber as regras para poder quebrá-las.

Gostou? Comente!

Tem dúvidas? Pergunte!

Até a próxima

11 de agosto de 2020

0 responses on "Primeira Inversão - Pt2"

Leave a Message

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados. CNPJ: 32.844.874/0001-11
X