Técnica de harmonização pela linha do baixo

 

Essa técnica é bem simples. É só criar uma linha melódica que soe bem com a melodia e depois escolher um acorde.

Ok, mas como faço isso? Qual é o meu ponto de partida?

Antes de tudo, você tem que fazer uma análise melódica. Veja se há alterações ou se a melodia é diatônica. Vou colocar como exemplo um trecho da música Irmão Jacque.

Melodia

Melodia simples e sem alteração, totalmente diatônica. Agora basta criar uma linha de baixo. Com a melodia está em dó maior, eu vou começar com C e seguir por grau conjunto.

melodia mais baixo

Feito isso, coloque todas as possibilidades de acordes com a melodia e o baixo e escolha o que te agradar mais.

Melodia possibilidades

É possível fazer da forma descendente.

melodia possibilidades 2

Pronto, agora você já sabe harmonizar uma música em menos de 5 minutos. 

Eu fiz uma harmonização de Ode To Joy do Beethoven com bastante acorde para demonstrar como essa técnica é simples, prática e funcional.

Ode to joy

Com o Conceito do Lídio Cromático você não tem apenas milhões de possibilidades, mas você tem total domínio sobre a música, principalmente na cadência.

Observe que o Conceito faz você observar a melodia de uma outra forma. Se você ouvir a melodia sem a harmonia, você vai perceber que ela soa mi menor no terceiro sistema.

Outro ponto interessante do Conceito é que ele demonstra o centro da gravidade. Faça o seguinte teste:

 

1 – Toque o acorde de ré maior e depois toque o acorde de Gm7/Bb;

2 – Toque o acorde de mi menor e depois toque o acorde F7M(#11);

3 – Toque o acorde de ré maior e depois toque o acorde de G(add9).

 

Você vai perceber que o efeito é o mesmo, independente do acorde anterior e a razão disso é a gravidade tonal.

Incrível como um pequeno detalhe pode fazer uma diferença absurda.

A Universidade Michael Machado é a única no Brasil a ensinar o Conceito do Lídio Cromático assim como composição, arranjo e orquestração aplicando este Conceito. 

É uma nova forma de compreender música, sem dúvida.

Clique no botão abaixo para saber mais sobre o curso.

 

Saiba Mais

14 de fevereiro de 2022

10 responses on "Técnica de harmonização pela linha do baixo"

  1. Caro Michael, eu meio que já sabia disso intuitivamente, mas gostei bastante da sua explicação. Vou exercitar esta lição sobre algumas linhas melódicas. Muito útil e claro seu post.

  2. Beethoven tremeu no túmulo. Essa rearmonização ficou sinistra. Muito bom, vlw vou treinar isso aqui. esse baixo é muito interessante.

  3. Muito boa suas dicas no site…Gostaria de saber se você indicaria algum material para estudar reharmonização..
    Eu sou baixista..e toco também guitarra..
    Não toco musica erudita, apenas popular e gosto de reharmonizar músicas, mas tenho dificuldades..
    obrigado

    • Wilson, infelizmente não tem livro que ensine isso. Os livros passam as ferramentas, mas é necessário um professor para ensinar o conteúdo e algumas técnicas de rearmonização. O básico é começar mudando os acordes com a mesma função harmônica. Depois você pode partir para os dominantes, empréstimos, diminutos e etc. Sempre indico o livro de harmonia do Ian Guest e do Almir Chediak.

  4. Michael,muito importante a explicação,pois estou lendo Ian Guest E ALMIR CHEDIAK,e obsservo que a linha do baixo é de fundamental importância. Obrigado.

  5. João Batista Valério de Oliveira8 de novembro de 2020 at 11:57Responder

    Fala Rafael, estava procurando material que me desse suporte para responder minhas questões online de arranjos pedagógicos, e então encontrei você, é muito achar material que nos ajudem. Abraços

Leave a Message

O seu endereço de e-mail não será publicado.

top

© Universidade Michael Machado, todos os direitos reservados. CNPJ: 32.844.874/0001-11